iG São Paulo

Prefeitura anunciou em julho a redução na cota diária de viagens e no tempo de embarque; alunos também protestam contra propostas de privatizações

Prefeitura de SP divulgou em julho as mudanças no passe livre estudantil que diminui a quantidade de passagens por dia

Prefeitura de SP divulgou em julho as mudanças no passe livre estudantil que diminui a quantidade de passagens por dia

Foto: Divulgação/ PMSP

A Câmara Municipal de São Paulo foi ocupada nesta quarta-feira (9) por estudantes secundaristas e universitários. Cerca de 30 pessoas entraram no local, no centro da cidade, por volta das 12h em protesto contra os cortes no passe livre estudantil, que reduziram a cota diária de viagens e o tempo de embarque.

Leia também: Doria institui cobrança adicional em terminal de ônibus na zona leste de SP

Segundo representantes da União Estadual dos Estudantes (UEE), a Guarda Civil Municipal (GCM) impediu o acesso aos banheiros pelos estudantes, que protestam contra os cortes no passe livre estudantil. Por volta das 15h30, de acordo com as informações da UEE, que foram confirmadas pela Câmara de SP, a Inspetoria de Operações Especiais (IOPE) da GCM entrou no plenário e permanece no local. Não houve tumulto nem tentativa de retirada dos estudantes na ocasião.

Os alunos também protestam e contra o Projeto de Lei (PL) 367, que trata de concessão e permissão de serviços, obras e bens públicos à iniciativa privada. Em nota, a presidência da Câmara disse que não vai negociar com os manifestantes até que haja a desocupação do plenário e que a sessão ordinária da casa está sendo realizada no Salão Nobre. A Procuradoria do Legislativo vai à Justiça pedir reintegração de posse do plenário, informou a Câmara.

Leia também: Mutirão faz conserto dos semáforos em ruas e avenidas de São Paulo

Mudanças no passe livre

A prefeitura divulgou em julho as mudanças no passe livre. Originalmente, a gratuidade, regulamentada em 2015, previa uma cota igual ao número de dias letivos nas instituições de ensino ? normalmente 24 por mês ?, além de passagens destinadas à realização de atividades extracurriculares. Cada cota gratuita tinha limite de oito embarques por dia, a serem realizados no período de 24 horas.

Com as mudanças implementadas, as cotas gratuitas de passagens passaram a ter um limite de 48 por mês, e com uso restrito a um período de apenas duas horas cada uma, contadas a partir do registro da primeira utilização.

Leia também: Motorista se desculpa por falta de prática no trânsito e viraliza

Na prática, o aluno poderá usar uma cota do passe livre estudantil para ir à escola ? com possibilidade de usar quatro ônibus diferentes ? e uma para voltar para casa. Segundo a prefeitura, a medida foi tomada para que as passagens gratuitas contemplem ?a real necessidade de deslocamentos vinculados à atividade escolar?.

* Com informações da Agência Brasil