Home / Esportes / De volta: Ceará e Fortaleza iniciam período de retorno aos treinos

De volta: Ceará e Fortaleza iniciam período de retorno aos treinos

01/06/2020 às 11:26:33

A retomada dos jogos de futebol no Estado do Ceará não tem data garantida, mas um capítulo importante do processo tem início hoje: o retorno das atividades dos clubes nos Centros de Treinamento (CTs). A medida faz parte da etapa de transição do plano estadual de ativação da economia e exige protocolos rigorosos para evitar propagação da Covid-19 em atletas ou funcionários dos times.

É a adaptação à nova realidade de segurança, que ocorre 78 dias após o último jogo realizado na Arena Castelão, de vitória do Ceará por 2 a 1 sobre o Sport/PE, pela Copa do Nordeste, em 15 de março.

Com aval da Secretaria da Saúde do Estado (Sesa), a percepção do exercício deve se transformar no imaginário do torcedor. O cenário atual impede aglomerações, sem atletas compartilhando os mesmos utensílios e nem os treinos coletivos (simulação de uma partida com jogadores do mesmo time).

O conjunto de ações de prevenção ao novo coronavírus foi entregue pela Federação Cearense de Futebol (FCF) aos participantes do Estadual. O documento tem referências listadas de experiências internacionais – como Alemanha e Espanha – e base nas recomendações das autoridades sanitárias. O passo derradeiro foi concluído nos últimos dias, com aplicação de testes diagnósticos em elencos e colaboradores de Ceará e Fortaleza – ação custeada pelas próprias equipes. Os jogadores também foram imunizados com a vacina de H1N1,através de serviço de drive-thru nos CTs.

Primeiro time do Brasil a finalizar o protocolo específico de segurança, o Vovô é o único da região a retomar as atividades após finalização de todos os procedimentos. O técnico Guto Ferreira, que ainda não foi apresentado diretamente aos atletas, desembarcou na Capital para comandar os trabalhos. Enquanto isso, o Fortaleza aguarda resultados de exames para reiniciar os treinos amanhã.

Protocolo estadual

O futebol foi uma das 11 cadeias produtivas listadas pelo Governo do Estado com protocolo de segurança específico. O dossiê, desenvolvido pelo Grupo Técnico de Trabalho estadual, pontua quesitos que devem ser cumpridos com obrigatoriedade pelos segmentos.

As determinações sucedem normas gerais de prevenção à Covid-19 com aval de autoridades sanitárias. No âmbito esportivo, o regulamento exige que os clubes estipulem um comitê fixo com um membro da comissão técnica, um do departamento médico e um da rouparia ou massagista.

Assim, caso um integrante seja infectado, todos iniciam processo de quarentena. Também está vetada circulação de conselheiros, diretores, profissionais de imprensa e torcedores nos treinos.

As áreas acessíveis aos atletas devem ser espaçadas, com fluxo de pessoas controlado. Na etapa inicial, o pedido é de atividades individuais – como ocorre na Itália – e “logo após o final do treino, o atleta deverá retornar imediatamente para sua residência. O banho deverá ser residencial, e o material de treino deverá ser colocado em sacola e lacrada para ser enviada à lavanderia”.

No escopo individualizado, cada jogador receberá um cardápio específico de acordo com o gasto calórico e a composição corporal. Os itens de hidratação devem se destinar para único profissional.

Com o avanço dos dias, subgrupos serão firmados. A orientação é elaborar exercícios para cada composição com “monitoramentos das cargas de trabalho, relação de carga aguda/crônica, controle de percepção subjetiva de esforço, testes físicos de desempenho, performance e fadiga”. Na chegada ao CT, todos precisam de checagem de temperatura. Caso o colhido seja superior a 37,5ºC, deverá retornar imediatamente para casa e aguardar o contato do Departamento Médico.

O documento solicita ainda que os jogadores já cheguem ao local do treinamento devidamente uniformizados e portando garrafinhas individuais para hidratação. O uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPIs), máscaras e demais insumos é obrigatório.

Por fim, destaca que as reuniões devem ocorrer por videoconferência. Caso um atleta ou colaborador apresente qualquer sintoma, deve ser imediatamente afastado. A conduta foi até exercida pela diretoria do Ceará, ao deixar em isolamento o atacante Leandro Carvalho, que testou positivo para o novo coronavírus na última semana. O atleta cumpre quarentena em residência na Capital e apresenta pouca manifestação da doença. A expectativa é que se reapresente na segunda semana de treinos em Porangabuçu.

Trabalho separado

O protocolo da FCF é norteador das medidas de segurança, mas a responsabilidade pelo cumprimento é de cada clube, assim como a elaboração de um conjunto de regras de segurança específico. A decisão ocorre porque a realidade estrutural das equipes é distinta. “Cada clube terá o seu protocolo individual pois cada um tem o seu espaço físico e ritmo de trabalho”, explicou Mauro Carmélio, presidente da FCF.

No caso alvinegro, por exemplo, o Vovô definiu que os atletas ficarão responsáveis pelos uniformes e equipamentos de treinamento individuais e que “vestiários ficarão fechados, assim como a sala de musculação e departamento médico”, salvo em situações específicas. As atividades, no primeiro momento, ocorrerão somente em Porangabuçu. A equipe separou o retorno das atividades em quatro fases, com a última representando a união dos jogadores no mesmo treino. A estratégia é similar ao projeto do Fortaleza.

O Leão vai concentrar as atividades no CT Ribamar Bezerra, em Maracanaú. Os jogadores devem preencher um formulário disponibilizado por aplicado para checagem de possíveis sintomas. Outro dos pontos é que os exercícios em dois turnos estão descartados por questões logísticas.

Até o momento, os representantes cearenses da Série A do Campeonato Brasileiro são os únicos com protocolos montados. “Vamos a partir do dia primeiro começar a organização e preparação dos clubes de menor porte para que depois também possam começar os treinos físicos e depois coletivos. Já temos tudo pronto, e estamos conversando com os clubes desde semana passada, fazendo essa preparação”, destacou Mauro Carmélio. Os demais participantes do Estadual são: Ferroviário, Guarany de Sobral, Atlético/CE, Barbalha, Caucaia e Pacajus. Os quatro últimos terão testes de Covid-19 comprados pela FCF.

Jogo no Castelão

A Secretaria de Esporte e Juventude (Sejuv), com autoridades sanitárias, finaliza um protocolo de uso da Arena Castelão. Dentre os quesitos estudados para ampliar a segurança de atletas e comissão técnica estão adequações estruturais no banco de reservas e vestiários, que serão otimizados para que sejam reduzidas as chances de contaminação.

As mudanças seguem protocolo similar ao adotado no Campeonato Alemão. A previsão para o reinício das competições no Ceará é em julho. Se tudo ocorrer bem, as partidas do Campeonato Cearense poderão ser realizadas na 3ª fase do plano de retomada do Governo, na primeira quinzena do mês que vem, segundo revelou o titular da Pasta dos esportes, Rogério Pinheiro.

Diário do Nordeste

Foto: Reprodução Intermet

Compartilhar

Veja Também

Novo estudo coloca Ceará e Fortaleza com melhor relação entre dívidas e receitas do futebol nacional

04/06/2020 às 11:02:29 Ceará e Fortaleza são os clubes com melhor cenário financeiro dentre os 20 principais do ...